Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Economia
Sicredi liberou mais de R$ 700 milhões do Pronampe em 2020 no RS
A maioria dos empreendedores que utilizaram a linha emergencial para a sustentação dos negócios integra os setores mais afetados pela pandemia de Covid-19, a exemplo da indústria, comércio e serviços.
Jornal do Comércio
por  Jornal do Comércio
03/06/2021 21:44 – atualizado há 7 minutos
Continua depois da publicidadePublicidade

Cerca de 17 mil operações associadas à cooperativa Sicredi no Rio Grande do Sul foram beneficiadas pela linha de crédito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), em 2020. De acordo com o vice-presidente da Central Sicredi Sul/Sudeste, Márcio Port, a instituição financeira liberou mais de R$ 707 milhões em recursos do programa em 454 (92%) dos municípios do Estado.

Em média, cada pequena empresa contratou cerca de R$ 42 mil através do programa. As cidades que representaram um maior volume de empréstimos do Pronampe pelo Sicredi-RS foram Santa Maria, Santa Rosa, Passo Fundo, Caxias do Sul, Cruz Alta, Pelotas, Lajeado, Erechim, Porto Alegre e Santa Cruz.

"O Pronampe se mostrou bastante importante para as micro e pequenas empresas no ano passado", considera Port, emendando que o recente anúncio do governo federal de que irá tornar permanente esta linha de crédito "é uma ótima notícia". "Trata-se de um recurso barato para o empresário neste momento de dificuldade, ainda que a taxa Selic esteja mais alta", avalia o dirigente da Central Sicredi Sul/Sudeste.

Port destaca que durante 2020, a maior parte (80%) da liberação de recursos do Pronampe pela cooperativa no Estado ocorreu em pequenos municípios, com até 100 mil habitantes, que têm na economia local uma das principais fontes de renda para a região. "Esse percentual representa R$ 584 milhões do total liberado no Estado", calcula. Ele destaca que a cooperativa foi uma das primeiras instituições financeiras do Rio Grande do Sul a atuar com esta linha de crédito, a partir de julho do ano passado. Em meio à quarentena, a maioria das transações iniciou de forma virtual, com contatos pelo Whatsapp, sendo finalizados presencialmente, na hora da assinatura, observa o dirigente.

"O Pronampe é extremamente importante para municípios pequenos, porque estes lugares dependem muito do comércio local, e (o programa) é uma forma fácil de manutenção do capital de giro e o cumprimento de obrigações como salários, contas e outras despesas importantes para manter empregos e empresas funcionando", reforça o vice-presidente da Central Sicredi Sul/Sudeste. Ele destaca que "quando estas empresas ficaram fechadas por muito tempo (na época dos decretos)", o programa de socorro para pessoas jurídicas criado pelo governo foi essencial "evitando um aumento ainda maior" da taxa de desemprego.

Contando com mais de 5 milhões de associados e atuação em 24 estados e no Distrito Federal, no País o Sicredi autorizou R$ 2 bilhões em Pronampe para 40.605 operações em 2020. Neste período, 20% das operações contratadas no Brasil ocorreram em cooperativas do sistemas Sicredi, Sicob, Unicred e Ailos, que juntas responderam por um de cinco contratos de recursos do Pronampe, observa Port.

"No total, em 2020 o Sicredi liberou mais de R$ 1,4 bilhão em linhas emergenciais no Rio Grande do Sul, por meio do Pronampe, do Programa Emergencial de Acesso a Crédito (PEAC FGI) e do Programa Emergencial de Suporte ao Emprego (PESE)", enumera o vice-presidente da Central Sicredi Sul/Sudeste da instituição.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...